Férias impulsionam intenção de consumo para julho

  • 04/jul/2019

A intenção de consumo em Minas Gerais apresentou elevação para o mês de julho, impulsionada principalmente pelo período de férias escolares. Segundo a Pesquisa de Intenção de Consumo da FCDL-MG, entre os entrevistados, 35,2% disseram que vão fazer compras.

 

 

No mês passado, a intenção de consumo foi de 32,1%, ou seja, houve alta de 3,1 pontos percentuais na passagem de junho para julho. Na relação julho 2019/julho 2018 (34,2%), a alta foi de 1 ponto percentual.

 

Nosso economista, Vinícius Carlos, em entrevista ao Diário do Comércio, informou que, embora a intenção de consumo tenha apresentado alta em julho, o incremento está aquém do esperado. Além disso, ele explica que o crescimento está mais ligado à proximidade das férias do que à melhora do cenário econômico.

 

A pesquisa aponta que o item viagens e pacotes ocupa o primeiro lugar na intenção de compras, com 14,6%, empatado com supermercado. Em seguida, estão farmácia/medicamentos (12,2%), materiais de construção (9,8%), roupas (9,8%), entre outros.

 

Poupança segue favorita – Permanece alto o índice que mostra a intenção dos consumidores em poupar. Entre os entrevistados, 64,8% responderam que vão economizar dinheiro em julho, sendo que, no mês anterior, esse número era de 67,9%. Em julho de 2018, 65,8% informaram que iriam poupar.

 

Entre aqueles que vão investir o dinheiro, a maioria – 54,2% – informou que aplicará na poupança. As outras opções são fundo de investimento (14,6%), capitalização (8,3%), previdência (8,3%), tesouro direto (8,3%) e ações (6,3%).

 

Vinícius Carlos explica que inflação em patamares baixos contribui para a melhora na intenção de consumo. Entretanto, a incerteza frente à falta de medidas concretas por parte da equipe econômica gera baixa confiança e cautela por parte do consumidor. Além disso, as taxas de desemprego, que continuam altas apesar de terem registrado ligeira queda, também impedem uma melhora expressiva dos níveis de consumo.

 

A maior parte dos entrevistados que informaram que farão compras em julho disse que fará o pagamento utilizando o cartão de crédito parcelado (47,6%). Em seguida, os meios mais citados foram cartão de débito (28,6%), à vista no dinheiro (14,3%) e a prazo (9,5%).

 

Vinícius ainda destacou que a FCDL-MG busca o incremento das vendas, mas sugere que o consumo seja feito com cautela e planejamento, de forma a evitar endividamentos futuros.

 

Fonte: FCDL MG

Compartilhe: